Patagônia Chilena: Onde ficar em Torres del Paine

Patagônia Chilena: Onde ficar em Torres del Paine

Saber aonde você vai ficar em Torres del Paine é um dos itens mais importantes do planejamento para os seus dias de aventura dentro do parque, já que essa escolha influencia diretamente no orçamento, nas atividades que você poderá fazer e até no peso da sua mochila.

Em termos práticos, o Parque Nacional Torres del Paine tem duas áreas bem definidas em relação à hospedagem. A primeira é a que está dentro dos circuitos O e W, compreendida entre o traçado vermelho e laranja no mapa abaixo, aonde o viajante conta com refúgios de montanha e áreas para camping pagas e gratuitas. E como nem só de trekking vive a Patagônia, a área mais externa e distante dos circuitos conta com hotéis maiores e alguns até bem luxuosos.

Mapa-Torres-del-Paine-Fantastico-Sur-refugios-circuito-W-circuit-2013

Créditos: Fantástico Sur

Para que você decida qual é o tipo de hospedagem que combina mais com o objetivo da sua viagem e tenha a experiência mais proveitosa possível nesse paraíso da Patagônia, neste guia explicamos as melhores opções tanto para aventureiros quanto para quem vai em busca de sossego e contato com a natureza.

HOSPEDAGEM NOS CIRCUITOS “W” E “O”

Procurados por aventureiros do mundo todo, os circuitos W e O (recebem estes nomes devido ao formato dos trajetos, conforme o mapa) são os mais procurados em Torres del Paine e são oportunidades perfeitas para praticar o trekking em um ambiente que oferece um pouco de tudo que a Patagônia tem de melhor. As duas rotas são longas e duram dias. O circuito W é o mais popular em Torres del Paine e dura de 4 a 5 dias. O circuito O é bem mais exigente e pode durar de 7 a 9 dias, dependendo da disposição de quem percorre suas trilhas. Ou seja, é necessário um teto para pernoitar entre um dia e outro.

REFÚGIOS – A opção mais confortável são os refúgios da Fantástico Sur e da Vértice Patagonia, que ficam localizados em pontos estratégicos do traçado dos circuitos e onde, ao final de cada dia de caminhada, há um chuveiro quente, uma cama confortável e por uma grana a mais nem com a comida do dia todo você precisa se preocupar.

refugio torres central torres del paine

Refúgio Torre Central (Fantástico Sur) – Foto: Arquivo Pessoal

Os refúgios possuem o estilo lodge de montanha, com acomodações coletivas e em relação à comida você escolhe se inclui no pacote ou se leva e prepara por conta própria. Os pacotes de estadia são vendidos a partir de US$ 450 e incluem todos os traslados. Cada refúgio possui também uma área para camping, com refeitório compartilhado entre o pessoal acampado e os hóspedes dos refúgios que optam por preparar a própria comida.

CAMPING – A estrutura dos campings pagos é muito boa e além do refeitório, conta ainda com banheiros, chuveiros com água quente e as barracas podem ser montadas em decks de madeira. Os campamentos Torres, Italiano e Paso (ver mapa) são mantidos pela administração do parque e gratuitos. Porém, a estrutura é um tanto mais precária e há no máximo banheiro e uma área para uso dos fogareiros. Lembrando que é terminantemente proibido acampar e utilizar fogo fora das áreas permitidas.

camping torres del paine

Camping Chileno (Fantástico Sur) – Foto: Arquivo Pessoal

O Campamento Torres é super disputado na alta temporada, pois é o que fica mais próximo das Torres que dão nome ao parque, e muita gente dorme lá pra subir de madrugada e ver o sol nascer no Mirante de Las Torres. Por conta disso, é necessário reservar antecipadamente uma vaga para ficar lá, o que deve ser feito pessoalmente na sede da CONAF em Puerto Natales (mais aconselhável, pra garantir) ou com os guarda-parques da portaria Laguna Amarga e do Campamento Italiano.

HOSPEDAGEM FORA DOS CIRCUITOS

As paisagens de Torres del Paine nem de longe foram feitas só para os trilheiros. Os amantes da natureza que buscam atividades mais tranquilas, sem deixar de lado a busca por uma experiência intensa em um dos lugares mais inóspitos do planeta, contam com ótimas opções de hotéis e eco resorts na região. Sem falar que dar de presente a si próprio pelo menos uma diária em um hotel após dias de caminhada, pode ser um ótimo prêmio pelo esforço. 🙂

Eco resorts como o Explora e o Tierra Patagonia são bem conhecidos por possuírem uma estrutura que une luxo e sustentabilidade, proporcionando aos hóspedes uma imersão em tudo que a Patagônia representa, através programas all inclusive que incluem (além de estadia, alimentação e transporte) palestras, passeios e expedições com os melhores guias de Torres del Paine. Ou seja, a sua única preocupação é aproveitar ao máximo tudo que Torres del Paine e a Patagônia podem oferecer. A má notícia é que são os mais caros da região, com diárias entre R$ 2000 e R$ 3000.

hotel las torres del paine

Hotel Las Torres – Foto: Arquivo Pessoal

Com grande estrutura e com diárias em torno de R$ 1000, há os gigantes hotéis Las Torres e Río Serrano. Na mesma faixa, o Ecocamp e o Patagonia Camp trazem uma experiência diferente com suas cabanas sustentáveis, inspiradas nas antigas habitações nativas.

Há também hotéis menores, com ótima localização para passeios e com reserva a partir de R$ 600, como os hotéis Lago Tyndal, Cabañas del Paine e Hostería Pehoe, que fica dentro de uma ilha de 5 hectares no Lago Pehoe.

DICAS PARA ECONOMIZAR

Se você não estiver interessado nas longas caminhadas ou em passar vários dias dentro do parque, não há porque você pagar os valores cobrados pela hospedagem em Torres del Paine. A menos que você queira, é claro. Uma boa dica então é reservar diárias avulsas em refúgios situados em pontos estratégicos, como o Refúgio Torre Central, que é acessível por via terrestre e uma boa base para chegar ao mirante das torres, e também o Lodge Paine Grande e o Lodge Grey, que são os mais próximos do Glaciar Grey e acessíveis através do catamarã que sai da Guardería Pudeto.

torres del paine hotel refugio hospedagem 5

Lodge Paine Grande (Vértice Patagonia) – Foto: Arquivo Pessoal

Uma outra dica e que barateia ainda mais a sua ida à Torres del Paine é se hospedar em Puerto Natales, onde há albergues e hotéis mais em conta, e fazer alguns bate-voltas de carro ou ônibus até os seus pontos de interesse do parque. Mas nesse caso, fique atendo em relação ao acesso e ao tempo gasto para chegar nos lugares que você quiser visitar.

Tem alguma outra dica? Ainda está com alguma dúvida? Te espero lá nos comentários! 🙂

+MAIS: Veja tudo que já publicamos sobre a Patagônia Chilena!

Toda vez que você reserva a sua hospedagem através dos links do site, nós ganhamos uma pequena comissão do Booking.com, que é nosso parceiro. Você não paga exatamente nada a mais por isso e ajuda o blog a crescer e trazer mais informações.

 

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos. 11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.