Como pesquisar e comprar passagens de trem na Europa

Como pesquisar e comprar passagens de trem na Europa

Viajar de trem pela Europa é uma das coisas que mais nos aproxima do modo de vida local quando viajamos pelos países do velho continente. Assumo o risco de dizer que se você não fizer um trechinho que seja de trem na Europa, alguma coisa faltou na lista de experiências da sua viagem.

E por esse meio de transporte não fazer parte da nossa rotina em grandes deslocamentos pelo Brasil e na América Latina, muitas dúvidas podem surgir. Pensando nisso, montei esse guia, com base em tudo que eu aprendi para acertar na compra dos meus bilhetes de trem para viajar pela Europa, com zero dor de cabeça.

pexels-photo

Neste post você verá:

  • Quando é vantagem se deslocar de trem na Europa;
  • Como descobrir se o trecho desejado é coberto por uma linha de trem;
  • Como comprar as passagens;
  • Qual a antecedência ideal para compra;
  • Como utilizar trens low cost;
  • Se compensa comprar um passe de trem para utilizar em vários países.

Quando o trem é vantagem na Europa?

Preço | Se você é um ser humano especial que consegue passar duas semanas na Europa com apenas os 10 Kg de bagagem permitida pelas aéreas low cost, na quase totalidade dos casos o bilhete de trem perde em termos de preço para tarifa básica (aquela que mal te dá direito a ir sentado na classe econômica, podendo levar apenas a bagagem de mão com peso de 10 Kg e medidas pré-definidas pela cia. aérea) de cias como as famosas Ryanair, Easy Jet e Vueling.

Sendo você um ser humano normal, sem esse poder especial, há mais competitividade entre as tarifas de trem e avião na Europa, e o melhor preço vai depender mais da antecedência com que a passagem é comprada.

Vale ressaltar que ir com uma mala mais folgada, não significa nem de longe ir com uma mala super pesada, que vai te obrigar a usar táxi toda vez que for se locomover com ela, já que subir e descer escadas de estações de trem e metrô, e ônibus de aeroporto lotado na hora do rush, não combina nada com 23/32 Kg de bagagem. Vá folgado, mas vá leve e garanta a economia ao utilizar o ótimo sistema de transporte público das grandes cidades européias.

Tempo | A conta é simples. Toda vez que o tempo de viagem de trem for menor que a de avião somada com o tempo dos deslocamentos hotel/aeroporto de saída, aeroporto de chegada/hotel novo, mais o tempo de espera no aeroporto antes da decolagem, mais o tempo para pegar a bagagem no novo destino, a melhor opção será o trem. Já que o tempo também é uma moeda importante da sua viagem.

Essa conta já vem toda pronta quando você faz a pesquisa no site GoEuro (em Português “de Portugal”), que te dá a comparação de tarifas e tempo gasto para se deslocar entre quaisquer cidades da Europa, seja de trem, avião, ônibus ou carro, respectivamente quando for possível utilizar cada um.

Praticidade | Uma das coisas que eu mais aprecio no trem, além do charme e da modernidade, é você não perder tempo para fazer check-in (salvo raras exceções), despachar bagagem e ter que ficar esperando. Você chega uns 20/30 minutos antes pra se localizar na estação, o trem para na plataforma quase já na hora de sair, você entra no seu vagão, coloca a sua mala no rack (para viajar tranquilo, é legal levar uma correntinha e um cadeado para prender a sua mala na prateleira) ou no bagageiro superior, acha seu assento e vai curtindo a viagem até o seu destino.

Por falar em destino, de trem você vai direto do centro de uma cidade até o centro da outra. Ou seja, se hospedando próximo das estações de trem, você não gasta nem tempo e muito menos dinheiro com transporte.

deutsche-bahn-1260991_640

Créditos da Imagem: Calflier (via Flickr)

Por falar em bagagem… | Não há limite de bagagem muito bem estabelecido na maioria da cias de trem européias, com exceção da Renfe (Espanha – máximo de três volumes de no máximo 85 x 55 x 35 cm e a soma dos três não deve superar 25 Kg) e da Eurostar (Dois volumes de no máximo 85 cm de altura, mais pequena bolsa de mão).

Dentro dos trens há bastante espaço para as bagagens. Há racks próximos às entradas, e bagageiro na parte superior dos vagões. Em alguns trens também há espaço entre os assentos para guardá-las. A responsabilidade pela segurança das bagagens é 100% do passageiro, então vale a pena identificar e prender as suas nos racks.

Mesmo com essa liberdade toda, lembre-se que estações de trem são sinônimos de escadarias, baldeações rapidíssimas e a responsabilidade por carregar a bagagem é toda sua (em raros casos há carrinhos).

Por falar em check-in… | Só é realizado pela Renfe, nos trens de alta velocidade e pela Eurostar. Por mais que sejam processos bem mais simples que o check in dos aeroportos, para essas cias é legal chegar com uma horinha de antecedência sim, pra não arriscar.

4974439487_9d69459629_b

Veja aqui como funciona o processo de imigração no Eurostar. | Créditos: Paul Burkitt-Gray (via Flickr)

Como os países do Reino Unido não fazem parte do Tratado Schengen, também há o processo de imigração após o trem cruzar a fronteira.

Em quais sites pesquisar se há passagens de trem para o meu trecho?

Os melhores sites para pesquisar por passagens de trem na Europa são o GoEuro e o Rail Europe. O GoEuro, além de informar se existe a possibilidade de viajar de trem entre as cidades do seu interesse, também apresenta um quadro comparativo de preço e tempo se você fosse de avião, ou ônibus. Tudo isso em Português.

trem-na-europa

Clicando na opção que seja a melhor pra você, você é redirecionado para o site da companhia que irá prover o seu transporte, com o site em idioma local, com algumas outras opções de idiomas europeus.

Já o Rail Europe é um site dedicado somente à informações sobre passagens para viajar de trem na Europa, e traz o processo todo, da pesquisa à compra, em Português, facilitando a vida de quem não quer se complicar por causa do idioma. O site cobra taxa de emissão de 10 Euros por passagem.

Como comprar passagens de trem na Europa?

Comprar os bilhetes de trem para viajar pela Europa direto nos sites da cias que operam no país de origem é disparado a forma mais barata, já que não há taxa de reserva. O único inconveniente é que para quem não domina o inglês, nem todos os sites terão um idioma amigável, exceto o de Portugal, por razões óbvias, e os que dão a opção de versões em espanhol, pra quem dá pelo menos aquela arranhada.

Clicando aqui, (link em manutenção) você confere a lista das principais companhias que operam o serviço de trens na Europa, bem como os links para alguns passo-a-passo para realizar a compra dos bilhetes direto no site de cada uma.

Se você prefere não arriscar, no Rail Europe você realiza todo o processo de compra em Português, mas há incidência da taxa de serviço de 10 euros. Vale pela tranquilidade se você não se sentir à vontade de fazer o processo todo em outro idioma.

Em qualquer uma das opções, opte por receber o e-ticket no seu e-mail para imprimir. Em boa parte dos casos, há a possibilidade de receber as suas passagens em casa, mas depender dos correios aqui no Brasil para receber até as contas tem sido sofrível. Não arrisque.

Quando eu encontro as tarifas mais baratas?

Normalmente as empresas disponibilizam as passagens para venda com 60 a 90 dias de antecedência, variando de um país para outro, e as tarifas mais baratas são de quem chega primeiro, já que aumentam os preços conforme a disponibilidade de assentos diminui.

Por exemplo, pesquisando passagens hoje (12/11/2016) de passagens para o trecho Madrid – Barcelona no trem Renfe-AVE de alta velocidade, só há disponibilidade de compra para o dia 15/11 com os bilhetes custando salgados 107 euros. Para pouco mais de um mês adiante (15/12), já é possível encontrar bilhetes por 57 euros. Para o dia 11/01/2017 foi possível encontrar passagens por 40 euros. Ou seja, planejar faz toda a diferença pro seu bolso. Ainda mais em tempos de Real super desvalorizado frente ao Euro.

Existe trem “low cost“? Como funcionam?

Sim, eles já existem! Clicando aqui, você tem acesso à um post que simplesmente esgota 99% do assunto, escrito pelo Ricardo Freire, o guru brasileiro dos blogs de viagem.

“Aquele 1%” fica por conta da train1euro.fr que opera apenas em cidades do sul da França, e vende passagens de trem à 1 euro, para explorar cidades da região de Languedoc-Rossillon, à beira do Mar Mediterrâneo e próxima da fronteira com a Espanha, onde fica a famosa Montpellier. Confira aqui o mapa de trem da região.

Vale a pena comprar um passe de trem na Europa?

Vamos ao tópico mais polêmico do assunto: Os passes de trem europeus. Mas já adianto a resposta: raramente, beirando o não absoluto. Mas parafraseando o poeta, “mas aquele 1% é…” importante de ser mencionado. Então senta que lá vem textão!

eurail-pass-guide

Começo explicando os porquês de os passes não serem vantajosos, na maioria dos casos.

Pra começar, eles são caros e dificilmente você vai conseguir ter o retorno do valor investido numa única viagem à Europa. E como já dissemos em parágrafos anteriores, nem sempre o deslocamento mais inteligente será o de trem, dado que qualquer viagem de trem que dure mais que 5 ou 6 horas, já perdeu o posto de melhor opção frente às aéreas low cost, que te levarão mais rápido e mais barato (mesmo se optar pela tarifa econômica com direito a despachar bagagem) ao seu destino.

Tem também o caso do cara que comprou o passe e achou que absolutamente tudo estava resolvido. Ledo engano, jovem! Ledo engano! Sabe aquele trem de altíssima velocidade, que faz você chegar em pouquíssimas horas no seu destino? Você ainda vai pagar para reservar o seu assento nele. Passagens em alta temporada? Novamente vai pagar pela reserva. Trem noturno para economizar na hospedagem? Novamente as taxas de reserva. Só vai passear de Eurostar entre Paris e Londres se comprar separado também.

Resumindo, fica difícil de essa conta fechar, e fechar bem pro seu bolso. E é exatamente isso que você terá que fazer para avaliar se, caso você não se encaixe em nenhuma das possibilidades que eu citei, um passe ainda seja vantagem pra você: CONTAS!

Uma vez que você fez o trabalho de casa e já planejou todos os deslocamentos da sua viagem e já sabe em quais trechos o trem será a melhor opção, aí sim veja se há algum passe (veja todos os tipos aqui) que cubra as suas necessidades por um preço menor que a soma dos bilhetes comprados ponto a ponto, separadamente e considerando as taxas de reserva que eventualmente você tenha que desembolsar.

O outro caso em que pode ser vantagem é o de quem foi pra Europa passar uns dias e deseja ter toda a flexibilidade do mundo pra ir decidindo no meio do caminho para onde quer ir, bolar pit stops entre um trecho e outro. Esse nível de flexibilidade só é possível com um passe mesmo.

O melhor site para pesquisar por passes de trem na europa é o Eurail, que é o operador oficial de passes de trens dos países participantes do Tratado Schengen, e também tem versão em português.

Créditos da Imagem Destacada: Calflier001 (Via Flickr)

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos.
11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.