Santiago do Chile - Casas de câmbio e qual moeda levar

Santiago do Chile – Casas de câmbio e qual moeda levar

A moeda do Chile é o Peso Chileno, que é difícil conseguir nas casas de câmbio do Brasil, e quando tem a cotação não é nada vantajosa. Fora o fato de que as casas de câmbio do Chile não cobram taxa de serviço. Para a nossa sorte, o Real é uma moeda muito bem aceita nas casas de câmbio em Santiago e de todo o Chile.

É verdade que a cotação do Real em Peso Chileno já teve seus dias de glória, quando a nossa moeda já chegou a valer 300 pesos. Mas hoje, em tempos de crise, 1 Real está valendo uma média de R$ 180 pesos. Ou seja, que comecem as contas.

DÓLAR OU REAL: QUE MOEDA LEVAR PARA SANTIAGO? Com todas as taxas que são cobradas para fazer câmbio nas agências brasileiras, é necessário fazer contas para tomar essa decisão e saber que moeda levar para trocar nas casas de câmbio de Santiago.

Normalmente, comprar dólares para depois comprar outra moeda depois não é uma boa escolha quando há a possibilidade de câmbio direto de reais pela moeda do seu país de destino. Mas para ter a certeza, eu faço a seguinte conta:

Vejo a cotação das casas de câmbio. Por exemplo, hoje (08/09/2015) o dólar está sendo vendido a R$ 4,07. Com a adição de 0,38% de IOF, esse valor pula pra aproximadamente R$ 4,09. A decisão é simples agora, já que basta saber quem compra mais pesos chilenos: US$ 1 ou os R$ 4,09?

Para tirar essa dúvida, é necessário saber o valor dos pesos chilenos em alguma casa de câmbio de Santiago, para ter uma base. A Cambios Santiago fornece as suas cotações online. A cotação hoje está em 691 pesos para 1 dólar e 172 pesos  para 1 real. Ou seja, os R$ 4,09 compram quase 704 pesos chilenos, o que torna mais vantajoso levar os nossos reais ao invés dos dólares.

CASAS DE CÂMBIO EM SANTIAGO – Para quem está levando dinheiro em espécie para Santiago, a melhor estratégia de câmbio é trocar apenas o necessário para o táxi nas agências do aeroporto, já que lá as cotações não são muito boas, e depois trocar o restante do que você acredita que irá precisar no Centro ou na Providencia. Há uma logo na saída do free-shop do desembarque, da AFEX, que sempre uso quando vou à Santiago para essa primeira troca de moeda.

As cotações mais vantajosas de Santiago você encontra na Rua Augustinas, que fica muito próxima ao Palácio La Moneda e a Plaza de Armas. Lá existem muitas casas de câmbio (praticamente só tem casas de câmbio 🙂 ) e essa concorrência faz com que lá a cotação seja muito boa para a troca de Reais e Dólares por Pesos Chilenos. Mas tome cuidado: para evitar golpes, não suba em prédios só faça câmbio nas casas que ficam nas calçadas.

cambio moeda santiago chile

No bairro da Providencia também há casas de câmbio com boas cotações na Rua Pedro de Valdívia, próximas à esquina com a Avenida Providencia. A diferença entre os preços talvez não pague nem o metrô para ir e voltar ao Centro, então é uma ótima opção para quem está hospedado por ali.

As casas de câmbio de Santiago funcionam de 9 às 18 horas (sábados, somente de manhã), à exceção das que estão no Aeroporto, que funcionam 24 horas, e também as que estão dentro dos shoppings, que funcionam de acordo com o horário dos shoppings. Fora do horário bancário, a cotação se ajusta pra pior, já que a concorrência com os bancos não ocorre.

CARTÕES DE CRÉDITO, SAQUES NO EXTERIOR, DÉBITO E PRÉ-PAGO – Depois que o governo brasileiro resolveu equiparar o IOF para estes 4 meios de pagamento, as vantagens financeiras no uso de cada um se diferenciam muito pouco. Mas haveria um motivo para levá-los? A resposta é sim.

Uma boa razão é a segurança, afinal andar com todo o seu dinheiro dentro dos bolsos ou deixá-los no quarto do hotel não é uma boa idéia em lugar nenhum do mundo. Mas no caso dos cartões de débito e crédito, é necessário ter um cartão internacinal e fazer a liberação do uso do cartão no exterior junto ao seu banco pela internet ou telefone.

cambio moeda santiago chile

Numa linha geral, o uso de cartões pré-pagos é bom pois você não sofre com a variação do câmbio, já que vale a cotação do momento da compra até o fim da carga e, em alguns casos, você leva um cartão reserva para o caso de perda ou roubo. Os cartões de débito e crédito, contam com uma cotação mais camarada que as casas de câmbio, próxima da oficial, que com IOF e alguma taxa eventual fazem com que as coisas fiquem quase que num zero a zero. O crédito sempre oferece o risco da variação cambial, já que você paga as suas compras com o valor da cotação do dia do vencimento da fatura e não o das compras. Os saques em espécie contam com taxas de operação e de uso da máquina, que totalizam algo entre R$ 20 e 30 no fim das contas. Ou seja, não utilize para valores pequenos. Normalmente, US$ 200 é um bom valor pra diluir a perda com as taxas.

UMA BOA ESTRATÉGIA… – O ideal é fazer uma mistura. Eu, normalmente, troco uma pequena quantia em reais no aeroporto para despesas como táxi e alimentação. Estimo uma quantidade razoável para gastos com alimentação, transporte e coisas como entradas em parques, museus, etc. e troco com uma cotação melhor no Centro de Santiago, nas casas de câmbio da Rua Augustinas. O dólar e o cartão de crédito são ótimas opções para o pagamento da hospedagem, já que há o retorno de 19% do valor do IVA (imposto sobre valor agregado) quando utilizados. Saques e Travel Money são opções para emergências e gastos não previstos.

EM OUTRAS CIDADES CHILENAS – Cidades como Viña del Mar e Valparaíso ainda fazem valer a pena trocar reais por pesos chilenos. Já se você estiver a caminho da Patagônia Chilena, Atacama ou Lagos Andinos, troque em Santiago se tiver tempo (escalas longas) ou leve dólares.

+ LEIA MAIS: Tudo que já publicamos sobre Santiago

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos.
11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.