Qual moeda levar para a Argentina?

Qual moeda levar para a Argentina?

Atualizado em 02/10/2018 – Como nem a nossa economia e muito menos a economia argentina ajuda muito a quem quer planejar a vida ou apenas uma viagem, sempre ficamos na dúvida em relação à qual moeda levar para a Argentina? Reais, dólares ou pesos? Ou então, se devemos comprar o peso argentino no Brasil ou na Argentina, além das dúvidas cruéis quanto ao uso de cartões no exterior.

Pra tirar de vez estas dúvidas, é necessário entender como funciona hoje o câmbio do peso argentino pra não cair em nenhum furada:

Antes de 2016, com as limitações impostas pelo governo Kirchner para compra e venda de moeda estrangeira por meios oficiais, o povo argentino criou o mercado paralelo para conseguir montar uma reserva pessoal em moedas mais fortes como o Dólar Americano, o Euro e até mesmo o Real na época, praticando cotações bem mais vantajosas que a oficial para atrair os turistas.

Além disso, em muitas lojas, restaurantes e outros estabelecimentos, pagando a sua conta com Reais, Dólares e Euros, você recebia o troco em Pesos Argentinos, com cotações superiores à oficial.

Ou seja, havia o câmbio oficial, o mercado paralelo, e um “paralelo ao paralelo”, tocado pelos comerciantes locais. 

A partir de 2016, o governo Macri, aboliu a restrição do acesso ao câmbio, e o povo voltou a comprar valores em moeda estrangeira através de bancos e casas de câmbio oficiais, fazendo com que o mercado paralelo praticamente desaparecesse.

Sendo assim, utilizar o câmbio oficial voltou a ser mais vantajoso pra quem viaja com dinheiro vivo, uma vez que as transações são mais seguras e controladas.

Neste post, você vai tirar todas as dúvidas sobre (se preferir, clique no tópico que deseja ler primeiro):

É MELHOR COMPRAR PESO ARGENTINO NO BRASIL OU NA ARGENTINA?

Se a economia hermana é de lua, uma coisa dificilmente muda no lado de cá da fronteira: comprar o Peso Argentino nas casas de câmbio Brasileiras é bem desvantajoso. Além de pagar menos em relação aos bancos argentinos, a gente ainda tem que bancar IOF e o lucro das casas de câmbio ou bancos brasileiros. A conta simplesmente não consegue fechar.

Ainda assim, antigamente eu ainda aconselhava as pessoas a trocarem aqui o suficiente para pagar o transporte até o hotel e fazer um lanche no aeroporto. Hoje, nem isso eu aconselho mais, uma vez que o Banco La Nación passou a ser a melhor opção para troca nos dois aeroportos de Buenos Aires, e a questão do transporte é fácil de resolver em tempos de Uber e Cabify.

  • AEROPORTO DE EZEIZA

A agência do Banco La Nación no Aeroporto de Ezeiza fica logo após o desembarque e realiza a troca de Reais por Pesos Argentinos pela cotação oficial local, além de funcionar 24 horas por dia, 365 dias por ano. Exatamente! Não para nem nos finais de semana e nem em feriados!

Banco de La Nación no Aeroporto de Ezeiza

Banco de La Nación no Aeroporto

Há uma outra agência de câmbio do La Nación no Aeroporto de Ezeiza, que eu nunca vi, nem usei, mas vale a pena botar o portunhol pra funcionar e perguntar onde fica se a fila estiver longa na principal.

+ Como ir do Aeroporto de Ezeiza para o Centro de Buenos Aires

  • AEROPORTO JORGE NEWBERY (AEROPARQUE)

Há também uma agência de câmbio do Banco La Nación no Aeroparque, que também faz a troca pela cotação oficial local, porém funcionando das 6h até 24h.

Veja aqui a cotação praticada pelo Banco La Nación. (A cotação que nos interessa é a de compra. Ou seja, o banco compra os nossos R$).

  • CENTRO DE BUENOS AIRES

Caso você ainda precise trocar alguma quantia em Reais por Pesos Argentinos durante a viagem, no centro de Buenos aires você ganha outras opções além da primeira agência do La Nación que encontrar pela frente.

Normalmente, as melhores cotações você irá encontrar nas corretoras da Calle Sarmiento que ficam entre as esquinas com a Calle Florida e a Avenida 25 de Mayo. Além das casas de câmbio/ corretoras, o BBVA Francés, o Banco Republica e o Banco Piano passam a ser ótimas opções para quem está procurando por instituições confiáveis para fazer câmbio de moeda no centro de Buenos Aires.

No site Dolar Hoy, você encontra as cotações das melhores casas de câmbio e bancos de Buenos Aires para compra e venda de Pesos Argentinos. Vale a comparação com a cotação do La Nación.

FIQUE ATENTO AOS HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO

Bancos: De segunda à sexta, das 10 às 15h
Casas de Câmbio/ Corretoras: De segunda à sexta, das 10 às 17h (Algumas funcionam aos sábados e domingos, porém praticando cotações bem acima da média.

CÂMBIO EM BUENOS AIRES: LEVAR DÓLARES OU REAIS?

A situação mais cômoda sempre será levar o nosso Real para trocar por Pesos assim que chegarmos na Argentina. Mas dependendo da cotação Real x Dólar do dia, pode sim ser vantagem comprar dólares nas casas de câmbio daqui e levar pra trocar.

Para tomar a melhor decisão, faça uma pesquisa no site Melhor Câmbio e veja em que pé está a cotação do dólar na sua cidade. Tomando por exemplo o dia de hoje (28/09/2018) nas casas de câmbio do Rio de Janeiro, onde resido, a cotação do dólar com o IOF já acrescido dos sai à R$ 4,19 (tempos difíceis, eu sei).

Ou seja, 1 US$ é a mesma coisa que R$ 4,19 para nós. Basta então calcular o que compra mais Pesos lá na Argentina, US$ 1 ou R$ 4,09. Comparando com as cotações praticadas pelo La Nación e no site Dolar Hoy, vemos que:

US$ 1 = AR$ 40,10

R$ 4,19 = AR$ 37,71

Ou seja, HOJE é mais vantajoso comprar dólares aqui e trocar por pesos assim que chegar na Argentina.

CÂMBIO EM OUTRAS CIDADES

Caso você passe por Buenos Aires ou o seu vôo faça escala em Ezeiza ou no Aeroparque antes de seguir para outras cidades, o ideal é aproveitar e fazer logo o câmbio na capital.

Não havendo essa possibilidade, nas principais cidades argentinas fora de Buenos Aires, como Mendoza, Bariloche, El Calafate e Ushuaia, sempre tem uma agência do La Nación (Em Mendoza, há uma no próprio aeroporto), além de outros bancos e casas de câmbio nas avenidas principais dos respectivos centros da cidade.

Normalmente, levar Dólares para trocar por Pesos é mais vantajoso fora de Buenos Aires, mas alguns comércios como restaurantes, chocolaterias e lojas de souvenirs aceitam reais com ótima cotação.

CARTÕES DE CRÉDITO, DÉBITO, PRÉ-PAGO E SAQUES NA ARGENTINA

Não há quem discorde que uso de cartões em viagens é prático, uma vez que evita essa correria atrás de cotações de casa de câmbio, além de ser disparadamente mais seguro do que andar com uma alta quantia de dinheiro vivo pela rua.

Mas, aquela combinaçãozinha macabra dos 6,38% de IOF, taxas de serviço e incertezas na cotação é de desencorajar qualquer um que não tenha condições financeiras, psicológicas e emocionais para bancar essa farra toda.

Ainda assim, jamais deixe de levar os seus cartões internacionais durante as suas viagens, uma vez que ter acesso ao seu crédito e/ou valores disponíveis em sua conta aqui no Brasil, pode ser essencial em situações emergenciais.

Além disso, mesmo que a reserva tenha sido feita no Brasil, sem um cartão de crédito você fica impedido de retirar carros alugados nas locadoras e até mesmo de fazer o check-in em alguns hotéis, já que é praxe desses estabelecimentos, solicitar a retenção de um valor “caução” no cartão de crédito para cobrir eventuais despesas extra.

  • CARTÃO DE CRÉDITO

Talvez seja o que tem a pior fama entre nós viajantes brasileiros. Tudo pelo fato de que a cotação utilizada para lançar o valor convertido em Reais na sua fatura não ser a do dia em que você fez a compra, mas o do fechamento da fatura. E que ainda pode sofrer correção cambial até o dia do pagamento, seja pro bem ou pro mal. E como a nossa economia “nunca foi lá essa Brastemp”, essa incerteza toda desanima a gente a usar o cartão lá fora.

Mas como em quase tudo na vida há um porém, os hotéis argentinos isentam os estrangeiros da cobrança de 21% sobre o valor das despesas, referentes ao IVA (imposto de valor agregado), quando o pagamento é feito com cartão de crédito internacional. Ou seja, mesmo sofrendo a cobrança dos 6,38% de IOF aqui, você ganha um desconto de 21% lá, e nesse caso mais específico vale a pena se planejar para fazer o pagamento com o cartão de crédito.

É obrigatório entrar em contato com o banco/ administradora do cartão de crédito antes da viagem para pedir a liberação do cartão para uso no exterior, informando o período em que será utilizado e os países por onde você passará.

+ Hotéis em Buenos Aires
+ Hotéis em Bariloche
+ Hotéis em Mendoza
+ Hotéis em El Calafate
+ Hotéis em Ushuaia

 

  • CARTÃO DE DÉBITO E SAQUES NO EXTERIOR

Além das vantagens relacionadas a segurança, utilizar o cartão de débito no exterior protege você de qualquer variação cambial, uma vez que a cotação utilizada em ambas operações é a do momento da compra. O valor sai da sua conta na hora, acrescido do IOF de 6,38%. O desconto de 21% do IVA também vale para pagamento da conta dos hotéis com cartão de débito.

+ Onde ficar em Buenos Aires: 10 hotéis que combinam economia e estilo.

Assim como no uso dos cartões de crédito, é obrigatório entrar em contato com o banco antes da viagem e solicitar a autorização para uso do cartão no exterior, informando quanto tempo passará fora e por quais países passará.

Outro ponto de extrema atenção é consultar previamente o seu limite para débito e saques no exterior (geralmente, o valor para as duas funções é unificado e em R$), e as taxas de serviço envolvidas em cada operação. Com algumas exceções, não há taxas extra para compras na função débito, enquanto a utilização de caixas eletrônicos para saques no exterior quase sempre rende cobranças de taxa de serviço.

Se o seu cartão for múltiplo (função débito e crédito no mesmo plástico), fique atento! Peça sempre para passar as compras na função débito, e escolha a opção débito nos caixas eletrônicos ao fazer saques. Caso contrário, será tudo cobrado na fatura do cartão de crédito, com taxas e câmbio da função crédito.

Ao levar cartões para uso no exterior, tenha sempre o contato do seu gerente e da central de atendimento do seu banco/ administradora do cartão para clientes fora do Brasil.
  • CARTÃO PRÉ-PAGO

Os cartões pré-pagos, o nosso famoso travel money, possuem normalmente uma cotação mais desvantajosa até do que fazer câmbio direto no Brasil, já que o IOF para o câmbio em dinheiro é de apenas 1,1%, contra 6,38% do cartão.

Mas há quem prefira viajar com eles no bolso por uma segurança adicional: a cotação será sempre a do dia em que você carregou o cartão com a quantia que irá usar durante a viagem, protegendo você de qualquer variação cambial.

Além disso, também garantem os 21% de desconto do IVA nos hotéis argentinos, e podem ser utilizados para fazer o “caução” nas locadoras de carros e hotéis que coloquem esta condição para a hospedagem (fique atento para o fato de que neste caso, o valo retido como “caução” não poderá ser utilizado por você até que o estabelecimento faça a liberação.

AINDA EXISTE CÂMBIO PARALELO?

A Calle Florida, uma das ruas comerciais mais famosas do centro de Buenos Aires, já foi considerada o oásis das casas de câmbio paralelo na capital. Mas hoje o que se vê por lá são só algumas poucas sobreviventes, uma vez que a abertura cambial trouxe cotações atraentes e mais segurança nas transações, uma vez que os bancos e as corretoras fornecem comprovantes das operações.

Ou seja, existir câmbio paralelo na Argentina, ainda existe. Mas hoje, o risco de fazer esse tipo de transação (sem comprovação alguma) já não compensa.  em que não há nenhum tipo de comprovante ou meio de proteção dos golpes que eram aplicados com as notas falsas que circulavam neste tipo de mercado.

Calle Florida - Buenos Aires

Calle Florida – Buenos Aires

+ Como reconhecer uma nota falsa de Peso Argentino

+LEIA MAIS: Todos os posts sobre Buenos Aires que já publicamos.

RESUMO

Para uma viagem que terá Buenos Aires como destino ou primeira parada, comparar se vale a pena levar dólares ou reais, já que não vale a pena comprar o Peso Argentino aqui no Brasil (pela nossa conta, hoje o dólar nos dá mais vantagem na troca) e realizar a troca na agência do Banco La Nación do Aeroporto de Buenos Aires aonde você desembarcar.

Em outras cidades, o dólar é normalmente a moeda mais valorizada no comércio, mas os nossos reais também são bem aceitos para compras em alguns estabelecimentos. Se na cidade aonde você vai tem uma agência do Banco La Nación que faça operações de câmbio, a cotação é a mesma da capital.

Leve o cartão de crédito e/ou débito para pagar apenas a conta do hotel com os 21% de desconto do IVA, e para usar em caso de emergências, e se o hotel ou a locadora de carros pedir um depósito “caução”.

Toda vez que você utiliza os serviços dos nossos parceiros através dos links disponibilizados aqui no site, nós ganhamos uma comissão por ter colocado você em contato com eles. Isso não gera nenhum custo adicional no preço final do serviço e de quebra você ajuda o blog a crescer e se manter.

Avatar

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos. 11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.