Rio de Janeiro - Celebre o Réveillon em Copacabana

Rio de Janeiro – Celebre o Réveillon em Copacabana

Famosa em todo o mundo, a festa de réveillon em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, é com toda a certeza uma das mais tops das listas de locais para comemorar a chegada do ano novo. E de fato, em poucos lugares no mundo há uma festa tão grande.

A programação sempre conta com diversos palcos com shows de grande cantores e DJ’s. Mas o título de maior atração da noite da virada sempre fica por conta da espetacular e longa queima de fogos no mar de Copacabana e das cascatas dos hotéis da Orla.

Confira a programação oficial do Réveillon 2015 na praia de Copacabana

8332272701_d6257529d4_o

Mesmo sendo Carioca (com “C” maiúsculo mesmo), só fui ao réveillon na praia de Copacabana uma vez em toda vida. Não há nenhuma razão especial para isso. Sou bem festeiro, não tenho nada contra aglomeração e tenho até um nível de paciência elevado para locais com muita gente bêbada por metro quadrado. Pura displicência mesmo.

Talvez seja aquela coisa de, por estar sempre próximo e acessível, você acaba não sem importando muito em perder um ou outro ano e acaba perdendo 29 e indo em um só…rs!

3185323134_df26d8e0fa_o

Mas essa única vez, somado à 30 anos de carioquice, já ajudam e muito a te passar umas dicas matadoras pra aproveitar a festa ao máximo. Vou começar dizendo as “melhores práticas” para curtir o Réveillon na praia mais famosa do Rio de Janeiro, depois eu conto o que eu fiz.

E no final do post, tem umas dicas extras para curtir o Réveillon em Copacabana tirando aquela onda de patrão.

Dicas Práticas

Dica 1: A primeira e mais matadora dica, por sinal. Compre o bilhete especial do metrô. Todos os anos a Prefeitura do Rio de Janeiro faz uma ação especial em conjunto com o Metrô Rio, que vende as passagens de ida e volta de metrô com alguns dias de antecedência, já que a entrada de carros em Copacabana fica restrita apenas a moradores.

SAIBA MAIS sobre o bilhete especial de Réveillon na página especial criada pelo Metrô Rio.

Dica 2: Busque se  hospedar em locais de fácil acesso ao metrô. Faz toda a diferença na rapidez pra chegar na festa e principalmente na hora de voltar, quando você estará muito manguaçado cansado de tanto comemorar.

Dica 3:  Tente chegar cedo. Quanto mais tarde você chegar, muito mais difícil será você chegar perto da areia, e desse jeito você não conseguirá acompanhar todo o espetáculo da virada de ano.

3185384188_4a7e177003_o

Dica 4: Você perceberá um fenômeno muito peculiar. Conte 5 minutos após a queima de fogos e você perceberá uma enxurrada de gente indo embora ao mesmo tempo. Isso mesmo, carioca sai de tudo que é canto da cidade (e de outras cidades também) só pra curtir a queima de fogos e vai embora pra casa tão logo ela acaba.

Ou seja, rola aquele “empurra-empurra”, aqueles ônibus e metrôs lotados no meio da madrugada, e tudo isso turbinado na manguaça. Ou seja, essa primeira hora depois da queima de fogos não é nada confortável e vale muito a pena você continuar curtindo a festa na areia (que, diga-se de passagem, ainda estará muito boa e longe de acabar).

3184478493_90fecd9999_o

Fora o fato de que a primeira dica voltará a fazer sentido pra você na volta, pois voltar de ônibus será ruim em qualquer momento até o sol raiar.

Dica 5: A dica de segurança. Lembre-se que você está no Rio de Janeiro, que é sim a Cidade Maravilhosa por direito, mas que ainda sofre muito com a criminalidade alimentada pela desigualdade social. E, por mais que haja um esquema de segurança super reforçado durante a festa de réveillon em Copacabana, sempre será difícil para a polícia trabalhar no meio de mais de um milhão e meio de pessoas aglomeradas.

Então, leve só o necessário e evitar exibir objetos de valor desprotegidos. Uma boa solução é levar uma doleira por dentro da bermuda/short, onde possa ser colocado o dinheiro, o celular e um documento de identificação, evitando assim deixar coisas nos bolsos.

8332275903_9e18bfc53c_o

No mais é curtir a festa na paz pra começar o ano com o pé direito!

Reserve sua Hospedagem no Booking.com

A minha aventura de Réveillon

Bom, agora eu conto o jeito que eu fiz pra curtir a festa que, no Rio de Janeiro, só perde para o Carnaval.

Eu moro a uns 50 km de Copacabana e resolvi sair de casa às 21:30 hs do dia 31 de Dezembro. (Contrariando a dica 2), peguei dois ônibus pra chegar até Copacabana (contrariando a dica 1). Tive que soltar do ônibus em Botafogo e ir correndo até a Praia de Copacabana, pois o trânsito estava impossível de tanta gente que teve a mesma “idéia de gênio” que eu. Por sorte, cheguei uns 5 minutos antes da meia-noite e consegui driblar a multidão pra arrumar um lugar bom pra assistir a queima de fogos.

3159980809_cdf09cdae7_o

Tanto esforço e sorte não poderiam ser desperdiçados voltando pra casa logo após a queima de fogos. Então, antes de cruzar o Rio de Janeiro tomando o caminho de volta, curti a noite na praia, que como eu disse é muito boa, antes de pegar filas imensas para os ônibus (contrariando novamente a dica 1).

Foi divertido? Foi. Foi uma aventura? Também. E das boas. Mas se você não está muito afim de contar com a sorte para curtir um réveillon irado na Cidade Maravilhosa, eu elaborei estas dicas baseado justamente no que eu faria pra não passar tanto sufoco e espero que te ajudem.

Dicas Extras

Vai curtir o réveillon no Rio de Janeiro e tá com uma graninha sobrando? Pois então considere a possibilidade de assistir a queima de fogos em alguma das festas que ocorrem nos terraços dos prédios e nos hotéis de Copacabana. Um tanto mais caro, porém com todo conforto, segurança e com um baita visual.
portobayinternacional

 

E se quiser tirar mais onda ainda, note que atrás dos fogos há vários Cruzeiros. Se você pode, porque não?

E para uma comemoração com uma pegada mais exótica, os morros da Zona Sul que estão pacificados possuem uma vista fenomenal do alto e também há algumas festas pra curtir a passagem para o ano novo nos hostels, bares e terraços das favelas.

Espero que as dicas ajudem e que você tenha um Feliz Ano Novo!

 

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos.
11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.