Diário de Bordo - Torres del Paine - Glaciar Grey (Ou quase)

Diário de Bordo – Torres del Paine – Glaciar Grey (Ou quase)

A correria e a loucura do dia anterior teve seu preço. O cansaço atrasou um pouco a saída, já que acabei dormindo um pouco mais e o café foi tomado com uma lentidão extra. O joelho esquerdo, que como contei nos diários de bordo anteriores, tinham recebido alta de uma pequena fratura há apenas 4 meses, também já dava sinais de que iria começar a reclamar.

O objetivo do dia seria a ida até o mirante principal do Glaciar Grey, a maior geleira do parque. Mas nas condições em que eu estava e com a saída do catamarã, onde eu iniciaria o retorno à Puerto Natales, programada para as 16 horas, o bom senso mandou que eu distribuísse as 5 horas que eu tinha entre as 10 da manhã e as 15 horas, deixando uma hora de sobra para qualquer imprevisto que surgisse.

Torres del Paine-11

Contrastes patagônicos – A vista do Cumbre Bariloche ao acordar

Uma grande vantagem desse dia é poder andar o tempo todo sem a cargueira, já que ao final dele retornamos para pegar o catamarã bem em frente ao refúgio. Novamente, levei só a mochila de ataque com um pouco de água, comida e o equipamento fotográfico. As cargueiras ficam em frente à recepção te esperando. 🙂

Com o plano do dia feito, eu parti numa caminhada sem toda a pressa dos outros dias, já que com o tempo que tinha disponível, a coisa sairia meio que na base do “o que vier é lucro”. O importante seria conseguir bons ângulos para fotografar o Glaciar Grey e aproveitar que o tempo estava fechado pra “brincar” um pouco com o vento patagônico.

Torres del Paine-1

O primeiro trecho, que vai até o mirante da Laguna dos Patos, é bem tranquilo e com subidas não tão exigentes. Demora um pouco pra visualizar os grandes atrativos do dia, que são as lagoas geladas e o Glaciar Grey, mas cerca de uns 40 minutos depois de iniciada a caminhada, eles viram companhia constante. Como eu já venho dizendo há alguns posts, a quantidade de cartões postais por dia em Torres del Paine é enorme. E nem precisa ter uma vista bem treinada pra isso.

Torres del Paine-2

Laguna Los Patos

Torres del Paine-3

“A perfect storm is coming (Uma tempestade perfeita se aproxima)”.

Torres del Paine-4

A paisagem nessa parte do parque é uma mudança da água pro vinho em relação aos dias anteriores. O Lago Grey cheio de icebergs boiando de um lado, e o Cumbre Bariloche coberto de gelo do outro. Ou seja, a coisa esfriou e esfriou muito.

Após um total de 4,5 km caminhados, cheguei ao primeiro Mirador do Glaciar Grey, quando a chuva chegou forte e gelada, acompanhada de rajadas fortíssimas de vento. A combinação pra uma decisão de parar por ali não podia ser melhor. O clima pesado e instável podia complicar a volta se eu fosse mais a frente, eu já estava quase atingindo a metade do tempo planejado e a visão do mirante para o Glaciar era perfeita.

Torres del Paine-34

Fim da linha.

Torres del Paine-22

Mirador Lago Grey

Torres del Paine-23

Torres del Paine-24

Trincando 🙂

Fiquei ali um tempo curtindo e brincando um pouco com os princípios de tornado as rajadas de vento e retornei com calma, exercitando a percepção a captando algumas imagens pelo caminho.

Torres del Paine-21

Sentindo a brisa no rosto pela manhã…hehe =D

Torres del Paine-25

Nessa época do ano, o parque ganha uns contrastes interessantes, entre as árvores já desfolhando por conta do outono, que começa a trazer bastante frio e aquela coloração mais amarelada para a vegetação, enquanto algumas flores ainda resistem no meio do capim dourado.

Torres del Paine-7

Cores do outono invadindo o parque.

Torres del Paine-15

Torres del Paine-18

Torres del Paine-20

Torres del Paine-35

No final do verão, o Calafate, uma lendária e exótica fruta patagônica de cor azul escura, pode ser encontrada aos montes em Torres del Paine. A fruta tem um sabor diferente, bem doce, e fui aconselhado por uma galera da região que estava realizando o circuito também a comer aos poucos pra ver se o estômago não estranha, já que quem não está acostumado podia ficar com dor de barriga, se exagerasse. Segui o conselho e me dei bem com a iguaria, até porque tem tantos arbustos lotados de calafate espalhados pelo parque, que não precisa fazer a feira no primeiro que você encontra.

Torres del Paine-36

Calafate, fruta que dá nome à famosa cidade da vizinha Argentina

Outras duas dicas boas pra não se dar mal com o calafate, é se ligar que os arbustos possuem galhos lotados de espinhos, então tem que tomar cuidado pra não ir pro departamento médico mais cedo com a mão toda furada. E a outra é que outro tipo de fruto cresce em competição por espaço com o calafate (frutos vermelhos na foto) e esse não

Diferente da correria pela vida, fugindo dos pumas do dia anterior, nesse eu pude aproveitar o retorno mais tranquilo para olhar com mais calma o azul do Lago Pehoe.

Torres del Paine-26

Torres del Paine-28

Vista do Lago Pehoe no retorno do Mirador Grey

Torres del Paine-9

Refúgio Paine Grande (Vertice Patagonia), que fica às margens do Lago Pehoe

Aos poucos, outros viajantes também vão terminando a missão Torres del Paine e vão se juntando na fila do catamarã que faz a travessia do Lago Pehoe até a Guardería Pudeto. A travessia já está incluída no pacote oferecido pela Fantastico Sur, mas pode ser comprada separadamente também para quem não está hospedado nos refúgios pagos. Durante cerca de uns 30 minutos, de pouco em pouco alguns cenários percorridos durante esses 5 dias foram se revelando ao longe, quase que numa espécie de recaptulação, até o barco chegar na Guardería Pudeto.

Torres del Paine-12

Quem preferir pode ir embora a pé 🙂

Torres del Paine-13

Mas todo mundo preferiu ir de barco mesmo.. 🙂

Torres del Paine-29

Quase acabando!

Torres del Paine-30

Torres del Paine-32

That’s all, Folks!!!

Já na Guardería Pudeto, o ônibus que levaria o pessoal de volta até Puerto Natales ainda não havia chegado, e o pessoal do barco aproveitou que tem um café bem simpático, e um tanto caro, pra tomar alguma coisa antes de ir embora. Escolhi uma mesa, pedi o tradicional café preto, e me pus em espírito de agradecimento a Deus por ter feito um lugar tão bonito, e por eu ter tido a oportunidade, saúde e disposição de conhecê-lo.

Mesmo não tendo cumprido o último trecho todo, por tudo que eu havia passado meses antes, envolvendo a recuperação da rótula, as sessões de fisioterapia, os exercícios pra fortalecer a perna o quanto antes, considero que a minha missão no circuito W foi cumprida, e bem cumprida. Mas ficou um gostinho de querer mais, e a volta pra fazer o Circuito O já é um dos meus grandes objetivos, e espero que logo eu esteja aqui contando mais essa.

Torres del Paine-10

Na nossa sessão Diário de Bordo, contamos todo o nosso roteiro ao mesmo tempo que trazemos o relato da nossa aventura percorrendo o Circuito W em Torres del Paine, realizado em Fevereiro de 2015, utilizando os serviços da Fantástico Sur. Além deste, temos mais quatro capítulos:

Dia 1 – Punta Arenas x Puerto Natales x Torres del Paine (Em Atualização);

Dia 2 – Rumo ao Mirador de Las Torres del Paine

Dia 3 – Na Companhia do Lago Nordenskjold

Dia 4 – Glaciar Francés e Mirador Británico

Dia 5 – Mirador Grey e retorno para Puerto Natales

E para te ajudar a planejar a sua ida ao parque, no nosso Guia Torres del Paine você encontrará as informações necessárias de forma prática e objetiva.

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos. 11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.