Rio de Janeiro - Trilha do Morro Dois Irmãos

Rio de Janeiro – Trilha do Morro Dois Irmãos

Se existe uma capital Brasileira que não desampara quem tem sangue aventureiro correndo nas veias, com toda a certeza é o Rio de Janeiro. E a generosidade da Cidade Maravilhosa é sempre enorme com os trilheiros, que estão no topo da lista de tribos que com frequência são recompensados com os seus melhores ângulos e vistas.

Com seus 539 metros de altura, e uma posição geográfica privilegiada, o “irmão maior” proporciona a melhor visão panorâmica da Zona Sul da cidade. E tudo isso com a menor relação “esforço x recompensa visual” em relação a outras trilhas da região, como as que vão para a Pedra da Gávea e a Pedra Bonita. São apenas 1,6 Kilômetros de caminhada até o topo do morro.

Neste artigo você vai aprender a fazer o percurso da entrada do Vidigal até o início da trilha, como chegar até o topo do irmão maior e também terá uma visão sobre como a pacificação tem favorecido o turismo dentro da comunidade. Ao final, você também poderá conferir um mapa para orientar a sua chegada ao Vidigal e outras informações úteis.

Da Entrada do Vidigal ao Início da Trilha

Pra começo de conversa, o melhor ponto de encontro pra você combinar com o seu grupo é em frente ao Hotel Sheraton, que fica a 5 minutos de caminhada até a entrada principal do Vidigal e oferece uma bela amostra de tudo que se pode ver ao longo da caminhada. Para quem vai de carro, é possível utilizar o estacionamento do Sheraton, que custa R$ 30 para um período de até 7 horas de permanência.


DSC_0023

Saindo de lá, você encontra o ponto de Kombis e moto-táxis logo na entrada da comunidade do Vidigal. Quem subir de moto (R$ 10) já vai com o modo “com emoção” acionado, enquanto as Kombis são a alternativa mais barata (R$2,50) e zen pra chegar até o ponto de início da trilha. De moto, o trajeto não demora nem 10 minutos.

É super recomendado utilizar qualquer uma das opções de transporte para subir o morro, caso você e o seu grupo estejam subindo por conta própria. Subindo de Kombi, o ponto final é próximo à Vila Olímpica do Vidigal, e a trilha começa atrás do campo de futebol. Como as motos tem maior vantagem em relação à falta de espaço, elas sobem um pouco mais e te deixam numa escadaria que te leva à um ponto apenas um pouco mais à frente do início da trilha.

20140824_121547

Rumo ao topo do “Irmão Maior”

O começo é a parte mais puxada do trajeto. Um belo teste pra panturrilha, por sinal. Em compensação, nesse trecho você irá observar que a vegetação é maior, e essa cobertura verde te proporciona um alívio térmico providencial em dias de calor intenso, o que não é nada raro aqui no Rio. Acaba compensando…rs 😀

Após esse trecho mais pesado, você chega ao primeiro mirante, de onde poderá descansar ao mesmo tempo em que avista de camarote alguns cartões postais como Corcovado, a Rocinha, São Conrado, Joá, Pedra da Gávea e Pedra Bonita (pouca coisa, não?…rs). E fique tranquilo, pois é só uma bela amostra de  tudo que você ainda verá mais à frente.

DSC_0072

Desse ponto em diante, o ambiente já é mais aberto, e é bom que você tenha caprichado no protetor pra encarar o sol. O trajeto todo dura cerca de uma hora e a caminhada em si é bem tranquila, sem maiores obstáculos, e ainda conta com outros dois mirantes. No segundo, é possível avistar todas as outras atrações do primeiro experimentando ângulos diferentes…

DSC_0036

… enquanto no terceiro você conta com um visual incrível do pequeno arquipélago formado pelas Ilhas Cagarras.

DSC_0095

Após o último mirante, você já está bem próximo do topo e chegando lá é só curtir muito esse visual que faz você compreender a razão do Rio de Janeiro ser merecidamente chamado de Cidade Maravilhosa. Aqui, pra qualquer direção que você olhe, tem um cartão postal. Da orla do Leblon, passando pela Ponta do Arpoador, até a orla da vizinha Niterói, tudo está ao alcance dos seus olhos.

Existem outros pontos bem mais altos para observar a cidade, mas o que mais impressiona no Mirante Dois Irmãos é o fato de você conseguir enxergar tantos lugares de forma nítida, justamente por conta da proximidade e dessa posição tão central em relação aos outros pontos turísticos.

20140824_103658

A melhor dica aqui é se planejar pra chegar cedo ao topo, pois não há muito espaço lá em cima. Por ser considerada de baixa dificuldade, a trilha do irmão maior é muito frequentada por famílias com crianças pequenas, pessoas com mais idade e por turistas mais aventureiros. Ou seja, é bonita e de fácil acesso. Logo, lota rápido.

A descida também é tranquila e não reserva maiores dificuldades. É uma oportunidade também de observar os cuidados que tem sido tomados em relação à vegetação local. Não é raro ver alguns pontos de reflorestamento.

A Vila Olímpica marca o final da trilha, e pra recarregar as energias a nossa dica é almoçar no Bar Belmontinho (filial da famosa rede de bares carioca Belmonte) que foi inaugurado no deck do Hostel Mirante do Arvrão ou curtir a Feijoada na varanda do Bar e Hostel da Laje. Os ambos se localizam bem próximos à Vila Olímpica, no final da Rua Armando Almeida Lima, na altura do Nº 4 (ver mapa no final do artigo). Na dúvida, é só se informar com alguém por lá mesmo e em uns 5 minutos você chega facilmente aos bares, que ficam um de frente para o outro.

20140824_135802

O Vidigal e a Pacificação

Entre todas as favelas cariocas que passaram pelo questionável processo de pacificação, o Vidigal é talvez a comunidade que soube tirar melhor proveito deste momento. Com posicionamento geográfico privilegiado, nada mais lógico e prático do que o desenvolvimento de atividades e de uma estrutura para recepção de turistas dentro da comunidade. Fato é que em nenhum (deixa eu repetir: NENHUM!) bairro nobre do Rio de Janeiro você terá uma vista tão bonita. Qualquer coisa que você faça por lá, terá a melhor vista para o mar e a Zona Sul do Rio.

Dizem até que David Beckham e o rapper Kanye West já possuem imóveis na comunidade.

Hoje, as festas na comunidade atraem a presença de pessoas de classe média e alta, muitos artistas tem frequentado e até escolhido o local para morar, há uma corrida de rua realizada na comunidade (Vidigal de Braços Abertos) e muitos turistas estrangeiros têm escolhido se hospedar dentro do Vidigal em busca de uma vivência dentro de outra realidade no Rio.

Para mim, essa é a melhor parte. Hoje os moradores podem tocar suas idéias e desenvolver negócios dentro da própria comunidade. É possível ver vários hostels, bares e restaurantes funcionando dentro do Vidigal.

20140824_121847

O próprio interesse turístico pela trilha dentro do Parque Estadual do Morro Dois Irmãos fez nascer a empresa Trilha Dois Irmãos, idealizada pela Ana Lima, que é moradora local. A empresa oferece pacotes de subida guiada pela trilha do Dois Irmãos e para outros pontos de interesse ecoturístico na região.

Pelo que pudemos ver andando pela comunidade após a trilha, parece que lá o processo de pacificação vem surtindo efeitos positivos e mantendo esse passo, e atendendo melhor a população local com melhorias nos serviços básicos, a tendência é o Vidigal virar modelo para as outras comunidades cariocas.

 Informações Adicionais

Depois disso tudo, recomendo que você continue curtindo o Dois Irmãos. Só que agora lá das areias do Leblon ou do Arpoador! 🙂

Tem alguma outra experiência ou dica sobre a Trilha do Morro Dois Irmãos e o Vidigal? Compartilhe com todos os leitores através dos comentários!

Engenheiro Bioquímico por formação, Carioca por vocação, 30 anos. 11 em cada 10 sonhos seus envolvem nomadismo e lugares pouco convencionais ao redor do mundo. Uma hora ele acaba realizando.